Menu Principal

domingo, 1 de janeiro de 2017

Câmara dos Deputados deve lançar concurso em 2017


Wilson Dias/ Arquivo – Agência Brasil
Consta em um dos adendos do Projeto de Lei Orçamentária Federal de 2017 a realização do concurso para a Câmara dos Deputados. Pelo documento, o certame terá oportunidades para os cargos de técnico e analista legislativos.
A proposta ainda inclui a previsão de inscritos e o valor da taxa de inscrição. Para técnico será cobrado R$ 110 com uma expectativa de 45.000 inscritos, enquanto o valor para o analista corresponderá a R$ 150, tendo a previsão de 25.200 candidatos.
O Orçamento 2017 está em análise no Congresso Nacional, que deverá aprová-lo até dezembro ou, no mais tardar, no início do ano que vem. Após a votação no Congresso, o presidente da República sancionará o documento e, se nada for alterado, o concurso da Câmara dos Deputados poderá sair do papel.
Sobre os cargos da Câmara dos Deputados
A profissão de técnico legislativo necessitará de ensino médio completo em instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). O salário inicial é de R$ 13.578,58.
Candidatos com formação superior em diversos cursos estarão aptos para o emprego de analista legislativo, cujo vencimento atual equivale a R$ 20.384,43.
Vale ressaltar que ambas as carreiras são distribuídas em várias funções dentro do órgão.
Defasagem de pessoal na Câmara dos Deputados
Recente levantamento apontou que a Câmara dos Deputados possui, atualmente, 434 postos vagos que podem ser preenchidos por meio de novos concursos. Do total destas vagas, 272 são para o cargo de técnico legislativo e 162 para analista legislativo.
Pelo balanço nota-se que a falta de servidores está cada vez maior e que, em breve, a Câmara dos Deputados deve tomar atitudes para iniciar novo processo seletivo. Acontece que em setembro do ano passado o órgão tinha um déficit de 318 profissionais; ou seja, em questão de dez meses mais 116 postos se tornaram vagos.
Para técnico, as chances em aberto são das áreas de agente de polícia legislativa; agente de serviços legislativos – serviços paramédicos; e assistente administrativo.
No caso do analista, há falta de funcionários nas especialidades de analista de informática legislativa; assistente social; assistente técnico; consultoria; contador; enfermeiro; engenheiro; médico; taquígrafo legislativo; técnica legislativa; técnico em comunicação social – divulgação institucional; técnico em comunicação social – imprensa escrita; técnico em comunicação social – relações públicas; técnico em comunicação social – rádio; técnico em comunicação social – televisão; técnico em documentação e informação legislativa; e técnico em material e patrimônio.
Fonte: Jornal de Brasília

 
ASSCCON DO BRASIL Sobradinho on MisterWhat